Badalado

Notícias - Marabá - PA

Velha Marabá é palco do primeiro homicídio do ano



Jorge foi morto a pauladas e tiros na cabeça provavelmente por dívidas com drogas/ Foto: Divulgação

Raimundo Jorge Gama Freitas, de 54 anos. Este é o nome da primeira vítima de assassinato ocorrido em Marabá no ano de 2019. O homicídio se registrou por volta das 4 horas da madrugada do dia 2, no final da Travessa Santa Terezinha (sentido Benjamin Constant), na Marabá Pioneira. Ele seria usuário de drogas, segundo a Polícia, mas ele trabalhava com ornamentação em festas. Acabou-se em frente à calçada de uma casa, com a cabeça estourada de balas e porretadas, tudo por conta do tráfico de drogas, conforme explicou o delegado Ivan Pinto da Silva, titular do Departamento de Homicídios da Polícia Civil em Marabá.

Em coletiva à Imprensa, na manhã de ontem (2), o policial explicou que a Delegacia de Homicídios foi acionada por volta das 4h20 da madrugada pelo Núcleo Integrado de Operações Policiais (NIOP-190). No local, ninguém quis conversar com a polícia sobre o assassinato.

Mas, mesmo assim, pelas palavras do delegado Ivan, não será tão custoso identificar o autor do assassinato e seus possíveis comparsas. “A gente já tem o suspeito de ter praticado o homicídio”, afirmou, acrescentando que essa informação não será divulgada agora sob pena de o criminoso conseguir fugir antes que seja decretada a preventiva dele.

Sobre a vítima, o delegado Ivan explicou que Jorge (como era conhecido) já foi abordado pela polícia em outro momento e, na ocasião, os policiais confirmaram que ele era usuário de drogas, o que ajuda a elucidar o motivo do crime. “Trata-se de mais uma vítima que se colocou em risco”, explica o delegado, acrescentando que Jorge estava em um local ermo em horário onde não é comum a passagem de pessoas e ocorre muito tráfico de drogas.

Por outro lado, o delegado pede que as pessoas colaborem com as investigações e repassem as informações para a polícia, independentemente de quem seja a vítima. Segundo ele, caso a população não colabore com informações, a criminalidade nunca diminuirá. “A onda de violência permanece porque o homicida se esconde atrás da impunidade”, afirma.

SAIBA MAIS

Delegado Ivan Silva pede que quem tiver informações que levem à autoria do crime deve encaminhá-las diretamente para a polícia ou para o Disque Denúncia Sudeste do Pará. Os números para contato são (94) 3312-3350 ou (94) 98198-3350 (WhatsApp). Pode ser utilizado, ainda, o aplicativo disponível nas lojas virtuais Google Play e Apple Store. O anonimato é garantido. (Chagas Filho)

Fonte: Correio de Carajás



Divulgar sua notícia, cadastre aqui!